segunda-feira, 2 de setembro de 2013

5 perguntas sobre amamentação

Foto: SXC

Quem responde as dúvidas das leitoras é a enfermeira neonatologista Natalia Turano, do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo.

1. Afinal, quais as principais vantagens da amamentação para a mãe e para o bebê?
Amamentar garante muito mais do que um alimento completo, com todos os nutrientes que o filhote precisa na medida certa, inclusive água. O leite materno contém anticorpos contra doenças e por isso previne diarreias, alergias e muitos outros males que o organismo do pequeno ainda não está preparado para combater. Ao mamar no peito, o bebê também desenvolve corretamente a arcada dentária e fortalece a musculatura orofacial. A mamãe, por sua vez, queima preciosas calorias – o que facilita a perda de peso. A amamentação também ajuda a diminuir o tamanho do útero, reduzindo o risco de sangramentos. Há estudos que relacionam o aleitamento materno com queda na chance de alguns tumores, como o de mama. Tudo isso sem falar no benefício mais evidente: o momento precioso de intensa troca de carinho e a oportunidade única de fazer um vínculo profundo com seu bebê!

2. Como saber a duração adequada de cada mamada?
Não existe uma fórmula. Mãe e filho devem ir experimentando e se conhecendo, principalmente nas primeiras semanas. A mamada pode durar algo entre cinco e quarenta minutos, mas cada bebê é um bebê. À medida que eles crescem, esse tempo também diminui. Alguns sinais mostram que o pequeno está bem alimentado: se faz um bom intervalo entre as mamadas, se está fazendo xixi e cocô, se solta a mama sozinho.

3. E qual deve ser o intervalo entre as mamadas?
Hoje não se estabelece mais um horário rígido, segue-se a chamada livre demanda. Ou seja: quem determina o ritmo é o pequeno. E deve-se respeitar sua vontade. Geralmente as mamadas acontecem a cada duas ou três horas, no máximo quatro. Também não é mandatório oferecer os dois peitos se ele não quiser. Se ele estiver com fome, ele irá pegar o segundo. Mas sempre comece oferecendo o peito que ele mamou por último – ou aquele que ele não quis, se for o caso.

4. Como prevenir problemas como fissuras nas mamas?
Atualmente não se recomenda nenhum tipo de preparo do mamilo durante a gravidez. Problemas como rachaduras estão muito mais relacionados à pega incorreta do bebê durante a mamada. Então é fundamental uma boa orientação sobre o posicionamento correto ao sugar. O bebê deve abocanhar toda a aréola, e não só o mamilo, e os lábios dele devem ficar bem virados para fora. Mas converse com seu médico para que ele avalie seu caso.

5. Como fazer um desmame sem traumas?
Novamente...aqui não há regras! É claro que existe a recomendação de amamentar exclusivamente no peito até os seis meses, e depois até lá pelos dois anos. Mas hoje em dia, com a volta da mãe ao trabalho e inúmeras outras variáveis, isso nem sempre é possível. Não se culpe se você não conseguir seguir a cartilha à risca, pelo motivo que for. "Acho que a mulher deve amamentar enquanto ela julgar importante para ela e para seu filho, enquanto ela se sentir à vontade", diz Natália. Quando chegar a hora, é importante fazer o desmame de forma gradual. Tem criança que aceita a mamadeira rapidamente, outras preferem ir diretamente para o copo. Mas tudo depende da mãe e do bebê. É ela que tem que estar decidida. 

Um comentário:

  1. Olá!
    Amamentar é um prazer!
    Meu filho vai fazer 2 anos agora dia 13 de setembro e mamou até semana passada. O leite foi diminuindo gradativamente e tudo aconteceu tranquilamente, graças a Deus!

    ResponderExcluir

Os comentários nao refletem necessariamente a opiniao das autoras do blog. Comentários considerados ofensivos serao excluídos.